Sílvia Caneco vence Prémio de Jornalismo Literário Teixeira de Pascoaes-Vicente Risco

Sílvia Caneco, jornalista do jornal i, é a vencedora da 1ª edição do Prémio de Jornalismo Literário Teixeira de Pascoaes-Vicente Risco, organizado, em parceria, pela Câmara Municipal de Amarante e pela Fundação Vicente Risco, com sede em Ourense, na Galiza.

 

O júri atribuiu o prémio depois de avaliado um conjunto de reportagens, entre elas “Presos duas vezes. A vida no hospital-prisão” e “Chamou nomes à irmã, mas livrou-se de pena porque teve resposta à altura”, ambas publicadas em 2012.

 

Reunido em Santiago de Compostela, o júri era constituído por Anxo Tarrio Varela (Universidade de Santiago de Compostela); Camiño Noia Campos, (Universidade de Vigo); Carme Fernández Pérez-Sanjulián (Universidade da Coruña); Isabel Cristina de Brito Pinto Mateus (Universidade do Minho); Maria Celeste Lopes Natário (Universidade do Porto) e Luís Martínez-Risco Daviña, em representação da Fundación Vicente Risco.

 

Na ata de atribuição do Prémio pode ler-se que “o júri valorizou, entre outros aspetos, o modo como a autora, partindo de uma realidade concreta, soube comentá-la, transcendê-la e construir um discurso de qualidade, quer sob uma perspetiva literária quer sob uma perspetiva jornalística. Um discurso, com vontade de permanência, que interpela o leitor e o leva a refletir”.

 

O Prémio de Jornalismo Literário Teixeira de Pascoaes-Vicente Risco foi apresentado a 1 de dezembro de 2012, no âmbito do Congresso “Pensamento, Memória e Criação no Primeiro Centenário da Renascença Portuguesa”, tendo o protocolo que levou à sua criação sido assinado a 7 de março de 2013, em Amarante, entre o Município e a Fundação Vicente Risco.

 

O Prémio visa destacar a importância que tiveram as relações entre intelectuais galegos e portugueses nas primeiras décadas do século XX, e de todos aqueles que, através da imprensa escrita, trabalharam e trabalham em prol da aproximação e encontro da Galiza e de Portugal e da construção da cidadania europeia.

 

Sobre a vencedora: Sílvia Caneco nasceu na Nazaré, em 1984. Licenciou-se em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa, e começou a trabalhar como jornalista no “Região da Nazaré”. Estagiou no jornal “Público” e colaborou, enquanto freelance, com o “Público”, “Pública” e “Grande Reportagem”. É jornalista do i desde a fundação do jornal e cobre atualmente a área da Justiça. É coautora do livro “Sacanas com Lei”, publicado em 2012, ano em que venceu o Prémio Literário Orlando Gonçalves e uma menção honrosa no Prémio de Jornalismo Direitos Humanos e Integração com a reportagem “Alice esperou 38 anos para matar o marido”.

Publicidade