Família ferida em colisão

Cinco pessoas ficaram feridas no passado domingo, duas delas com gravidade na sequência de um despiste seguido de colisão, ocorrido na EN15, em Freixo de Baixo - Amarante. O acidente envolveu uma família residente na Lixa - Felgueiras, que viajava num "Citröen AX" no sentido Lixa - Amarante e um grupo de Caçadores residentes em Prado - Braga e que seguia em sentido contrário a bordo de um "Mitsubishi Pajero" com um atrelado incorporado, onde eram transportados os cães.

Os feridos graves foram evacuados de helicóptero para o Hospital de S. João - Porto. Uma terceira vítima foi levada de ambulância para o hospital de Penafiel, unidade para onde também foram transportados os restantes feridos.

Joaquim Vieira Mesquita, 51 anos, motorista dos Bombeiros Voluntários da Lixa, a mulher, sensivelmente da mesma idade, e  filho do casal, de 22 anos, estudante na Universidade de Trás-Os-Montes e Alto Douro (UTAD), são os feridos mais graves. Segundo soubemos, o rapaz iria apanhar o autocarro em Amarante que o levaria até à capital transmontana.

Mãe e filho foram evacuados de helicóptero do INEM para o Hospital de S. João, no Porto. Pelo que foi possível apurar, a mulher terá sido vitima de uma factura no fémur. O rapaz, que conduzia o Citröen e que fracturou as pernas, ficou em coma induzido pelo INEM para um melhor transporte. 

Quanto a Joaquim Mesquita, sofreu várias escoriações e foi alvo de exames de despistagem no Hospital de Penafiel, segundo explicou ao JN, José Campos, comandante dos Bombeiros da Lixa.

Inicialmente estes seriam os feridos relatados às autoridades. Porém,  mais tarde, dois dos ocupantes do jipe foram, também, levados para o hospital para serem assistidos a pequenas escoriações.  

"O que poderá ter acontecido foi que o Mitsubishi Pajero, terá entrado em despiste numa subida e foi para cima do Citröen AX. Estava em casa ouvi um estrondo e vim a correr. Depois tentei ajudar", relatou José Carvalho, morador à face da estrada.


Refira-se que, à hora do acidente, cerca das 18 horas, tinha começado a chover e o piso encontrava-se escorregadio. O subchefe dos Bombeiros Voluntários de Amarante, Fernando Fausto, disse que foi usado material de desencarceramento e que a consequência gravosa do acidente ficou a dever-se à fraca resistência do Citröen perante a robustez do jipe.

Publicidade