Mário Soares culpa neoliberalismo pela crise europeia

Mário Soares disse, a 16 de junho, em Amarante, que a crise europeia, que afeta sobretudo os países do sul, é consequência da globalização desregulada e das políticas neoliberais de alguns estados. E avisou que se não houver alteração de políticas, estará em causa o futuro da Europa e a crise arrastará, sem exceção, todos os países.

O ex-Presidente da República falava na Conferência “A Europa connosco? Novos desafios para Portugal”, organizada pelo Município e inserida no ciclo “Conferências de Amarante 2012”, que decorreu no auditório da Casa das Artes.

Escutado atentamente por cerca de duas centenas de pessoas, Mário Soares falaria também do seu longo percurso político, a propósito da edição do livro de sua autoria “Um político assume-se”. Neste contexto, recordou a luta que travou contra o regime autoritário de antes do 25 de abril, as prisões de que foi alvo e o seu exílio em França, de onde regressaria apenas depois da “Revolução dos Cravos”.

Iniciadas em março, com Isabel Jonet, Presidente do Banco Alimentar contra a Fome, as “Conferências de Amarante” regressam depois do verão, quando terá lugar a quarta, de um ciclo de cinco, que encerrará no final do ano.

Publicidade